Gestão Ambulatorial

Implantação de ambulatório médico incluindo mobiliários, equipamentos médicos e pessoal especializado

Gestão em Terceirização

Terceirização de Técnicos de Segurança do Trabalho, Engenheiros, Médicos, Fisioterapeutas

Gestão em Medicina

PCMSO (NR-7), Exames Médicos Ocupacionais, Audiometria, Perícia Médica, Gestão de Absenteísmo

Gestão em Engenharia

PPRA, LTCAT, CIPA, APT, APR, EPI, Análise Ergonômica, Mapa de Risco, Laudo de Acessibilidade

O Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR) tem como principal objetivo prevenir a ocorrência de acidentes ambientais que possam colocar em risco a integridade física dos trabalhadores, bem como a segurança da população e o meio ambiente.

Assim, para a sua efetividade, o PGR deverá ser estruturado contemplando todas as ações necessárias para a prevenção de acidentes ambientais, bem como para a minização de eventuais impactos caso ocorram situações anormais.

Internacionalmente, o termo gerenciamento de riscos é utilizado para caracterizar o processo de identificação, avaliação e controle de riscos. Assim, de modo geral, o gerenciamento de riscos pode ser definido como sendo a formulação e a implantação de medidas e procedimentos, técnicos e administrativos, que têm por objetivo prevenir, reduzir e controlar os riscos, bem como manter uma instalação operando dentro de padrões de segurança considerados toleráveis ao longo de sua vida útil.

Redução do risco
Considerando que o risco é uma função da freqüência de ocorrência dos possíveis acidentes e dos danos (conseqüências) gerados por esses eventos indesejados, a redução dos riscos numa instalação ou atividade perigosa pode ser conseguida por meio da implementação de medidas que visem tanto reduzir as freqüências de ocorrência dos acidentes (ações preventivas), como as suas respectivas conseqüências (ações de proteção), conforme apresentado na Figura 1.

Figura 1 – Processo de redução de riscos

Metodologia

Além das medidas para a redução dos riscos, o gerenciamento de riscos de uma instalação deve contemplar também ações que visem mantê-la operando, ao longo do tempo, dentro de padrões de segurança considerados aceitáveis ou toleráveis.

Assim, toda e qualquer empresa que desenvolva atividades que possam acarretar acidentes maiores deve estabelecer um Programa de Gerenciamento de Risco (PGR), o qual tem por objetivo prover uma sistemática voltada para o estabelecimento de orientações gerais de gestão, com vistas à prevenção de acidentes.

Segundo o estabelecido na norma CETESB P4.261Manual de orientação para a elaboração de estudo de análise de riscos, o escopo do PGR deverá conter:

  • informações de segurança de processo;
  • revisão dos riscos de processos;
  • gerenciamento de modificações;
  • manutenção e garantia da integridade de sistemas críticos;
  • procedimentos operacionais;
  • capacitação de recursos humanos;
  • investigação de incidentes;
  • plano de ação de emergência (PAE);
  • auditorias;

Plano de Ação de Emergência (PAE)
Tanto para os empreendimentos de médio e grande porte como para os de pequeno porte o PAE deve contemplar os seguintes aspectos:

  • estrutura do plano;
  • descrição das instalações envolvidas;
  • cenários acidentais considerados;
  • área de abrangência e limitações do plano;
  • estrutura organizacional, contemplando as atribuições e responsabilidades dos envolvidos;
  • fluxograma de acionamento;
  • ações de resposta às situações emergenciais compatíveis com os cenários acidentais considerados, de acordo com os impactos esperados e avaliados no estudo de análise de riscos, considerando procedimentos de avaliação, controle emergencial (combate a incêndios, isolamento, evacuação, controle de vazamentos, etc.) e ações de recuperação;
  • recursos humanos e materiais;
  • divulgação, implantação, integração com outras instituições e manutenção do plano;
  • tipos e cronogramas de exercícios teóricos e práticos, de acordo com os diferentes cenários acidentais estimados;
  • documentos anexos: plantas de localização da instalação e layout, incluindo a vizinhança sob risco, listas de acionamento (internas e externas), listas de equipamentos, sistemas de comunicação e alternativos de energia elétrica, relatórios, etc.

O PAE deve se basear nos resultados obtidos no estudo de análise e avaliação de risco.

×

8 bons motivos para contratar a SSO

  • Clientes e projetos em todos os Estados do Brasil;
  • Equipe completa de profissionais com Mestrado e Doutorado;
  • Engenheiros especialistas em laudos de máquinas  conforme NR-12;
  • Equipamentos importados e calibrados com certificados RBC/INMETRO;
  • Empresa devidamente registrada no CREA e CRM para atendimento nacional;
  • Mais de 15.000 dosimetrias de ruído realizada ao longo dos anos;
  • Mais de 10.000 avaliações químicas realizada ao longo dos anos;
  • Equipe médica completa para atender sua empresa;

PageLines- equipamentos.jpg

Web Design BangladeshDomain & Hosting Bangladesh